Município de Canindé registra manifestação contra corte da Educação e por reajuste de salários

Servidores públicos, autônomos, sindicatos dos servidores públicos e dos trabalhadores rurais, professores e estudantes realizaram, na manhã desta quarta-feira (15), em Canindé, o Dia Nacional de Greve pela Educação, uma marcha contra o corte de verbas anunciado pelo Governo do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo levantamentos da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados, o congelamento de recursos do Ministério da Educação e Cultura (MEC) compromete R$ 2,1 bilhões nas universidades e R$ 860, 4 milhões dos Institutos Federais. A educação básica, sofreu um corte de R$ 914 milhões.

No Ceará, as Universidades Federal do Ceará (UFC), Federal do Cariri (UFCA), da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), tiveram corte de R$ 46,5 milhões, R$ 18,8 milhões, R$ 11,5 milhões e R$ 32 milhões, respectivamente.

Os manifestantes saíram em marcha da Praça Azul até a prefeitura encerrando o ato na praça Tomaz Barbosa. Servidores públicos também protestaram reivindicando da Gestão Municipal reajuste salarial.