Semace emite parecer sobre situação dos ursos do Zoológico de Canindé

A equipe de fiscalização da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) que vistoriou o recinto do Zoológico São Francisco de Canindé, onde está alojado o casal de ursos Dimas e Kátia, emitiu parecer favorável ao local que abriga os animais.

O parecer foi apresentado nesta sexta-feira (30) durante encontro com entidades de defesa dos animais, com a participação de um representante do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), que também participou da vistoria e analisou a situação de saúde dos ursos. Vinte entidades participaram, entre elas o Instituto Luisa Mell que reivindica a transferência dos ursos para uma área no interior de São Paulo, onde “a temperatura é mais baixa”.

“O Zoológico São Francisco de Canindé atende de modo parcial às exigências relacionadas na legislação aplicável à operação do empreendimento, especificamente a Instrução Normativa IBAMA N° 07/2015.” Esta é a conclusão do parecer técnico da equipe de fiscalização da Semace que vistoriou o recinto dos usos.

O encontro foi presidido pelo secretário do Meio Ambiente, Artur Bruno. “Nós estamos realizando um diálogo como vocês, uma espécie de audiência pública.”, afirmou o secretário. “Ouvir significa estar aberto a mudar de opinião”, completou.

As entidades apresentarão um documento contra-argumentando os pareceres da Semace e do CRMV, e propondo como o Governo do Estado deve atuar junto à Arquidiocese de Fortaleza, que mantém os ursos.

A vistoria

A vistoria foi realizada no dia 23 de novembro, para esclarecer “divergências encontradas entre as medidas aferidas na vistoria anterior, realizada no dia 20 de novembro, e o projeto apresentado pelo empreendimento aos Fiscais Ambientais”. Os técnicos consideraram 12 critérios de análises previstos na Instrução Normativa do IBAMA, que trata do acondicionamento de animais do gênero em empreendimentos do tipo jardim zoológico.

O zoológico foi aprovado em oito  dos 12 itens observados.

Espelho d’água, afastamento mínimo do público em relação ao recinto, altura do recinto, piso, cambiamento, maternidade, documentos comprobatórios da origem dos espécimes e ambientação, que trata de troncos e árvores de médio porte.

A polêmica envolvendo os animais que foram retirados pelo Ibama de um circo no Estado do Piauí após acusações de maus-tratos, começou pela ativista Luisa Mell, que iniciou uma campanha nas redes sociais no fim de setembro para que os ursos Dimas e Kátia fossem transferidos ao Rancho dos Gnomos, uma associação de bem-estar de animais em Cotia, interior de São Paulo.

O argumento da ativista para levá-los é que o nordeste brasileiro é uma das regiões mais quentes do país e inadequada para esses animais.

Os ursos já estão há dez anos sob os cuidados do Zoológico São Francisco de Canindé que é acompanhado por um médico veterinário e uma bióloga.

Na missa das 6h desta sexta-feira (30), o Reitor do Santuário de Canindé, Frei Marconi Lins de Araújo, falou sobre o tema.

Com informações da Semace 

Fotos: Santuário de Canindé